quarta-feira, 23 de janeiro de 2008

Dinâmica de grupo: o que não fazer!


Certos comportamentos podem ser fatais durante o processo e acabar com suas chances de conquistar a vaga. Saiba aqui quais são e o que fazer para se dar bem

Uma das etapas mais temidas do processo seletivo, a dinâmica de grupo é hoje utilizada em larga escala para que as empresas possam verificar como o candidato lida com o trabalho em equipe. As atividades e o número de participantes variam de acordo com o perfil da organização e do cargo oferecido, mas algumas ações dos candidatos são comprometedoras em qualquer modo de avaliação. Para descobrir o que pensam os recrutadores sobre o assunto, o Empregos.com.br conversou com a psicóloga e consultora Izabel Failde, também especialista em dinâmica do site (veja aqui a lista de perguntas respondidas por ela). “Durante o processo, os recrutadores fazem uma fotografia do momento atual da vida do candidato”. Ou seja, tudo o que você fizer será avaliado e convertido a seu favor ou não. Por isso, não durma no ponto.

Confira a seguir os comportamentos que devem ser evitados pelos candidatos e, mais embaixo, dicas de como atingir um excelente resultado.

- Falar muito: Muitas pessoas confundem pró-atividade com “tagarelismo” e acabam por atropelar a si e aos outros concorrentes. Essa conduta é bastante recorrente em pessoas normalmente tímidas que tentam vender uma suposta extroversão – e aí acabam se enrolando.

- Mudez e apatia: Outro extremo bastante comprometedor, pois além de o candidato demonstrar pouco interesse no processo também é ofuscado por outros que sabem se posicionar melhor.

- Fingir ser o que não é: Atitudes artificiais só colaboram para que seus planos venham por água abaixo, pois os recrutadores percebem quando alguém está manipulando seu modo de ser e ninguém quer na empresa um profissional dissimulado.

- Roupas inadequadas: O bom senso muitas vezes é esquecido na hora de escolher o modelo para encarar a dinâmica – tanto por parte de homens quanto de mulheres. Antes de mais nada, é necessário estar alinhado exatamente com a empresa e com o cargo em questão. No Marketing , por exemplo, há tanto a área de vendas quanto a de criação – mais despojada que a primeira. Algumas regras, porém, são básicas. Para os homens, atenção especial ao cabelo e à barba: nem todas as organizações aceitam um visual excessivamente despojado (isso deve ser negociado com o próprio recrutador). No caso das mulheres, o exagero costuma ser um erro recorrente, como calça social apertada, bijuterias muito chamativas, perfume muito forte... Além disso, “o recrutador está vendo se você está se sentindo bem consigo mesmo ou não”, diz Izabel. (saiba o que vestir na dinâmica de grupo);

- Desemprego e depressão: Estar há muito tempo desempregado gera frustração e, em alguns casos, pode levar a pessoa à depressão. E muitas vezes o candidato deixa transparecer essa falta de energia durante as atividades e acaba novamente sendo descartado. É preciso realizar um forte trabalho interior para recuperar o ânimo e o pensamento positivo (veja dicas para manter o entusiasmo na busca por emprego);

- Desistir antes da hora: Izabel conta que, por incrível que pareça, há muitos candidatos que mal começam uma atividade e já desistem, alegando não conseguir realizar a tarefa. Abrir mão de qualquer fase do processo é inaceitável – afinal, se você está participando da dinâmica é porque quer conquistar a vaga, não?

- Ser muito “profissional”: A especialista destaca um tipo de candidato que tem se proliferado nas dinâmicas atualmente: o “profissional”, que age de forma extremamente padronizada e mecanizada. É aquele que faz tudo o que o recrutador espera dele, mas de modo impessoal: veste-se de acordo com o que manda a cartilha e age de modo tão previsível que não se destaca em nenhum aspecto. Por isso, por mais que você procure seguir à risca dicas de especialistas, nunca deixe de ser você mesmo durante todo o processo.

Como se dar bem
Agora que você já sabe o que não fazer durante a dinâmica de grupo, veja algumas dicas preciosas de comportamentos vencedores indicados pela especialista:

  • Se você está em busca do primeiro emprego, não se preocupe em tentar demonstrar alguma experiência – se você chegou à etapa da dinâmica é porque tem as mesmas chances dos outros concorrentes. Por isso, confie no seu taco.
  • Haja o que houver, seja sempre você mesmo. Os recrutadores irão selecionar pessoas que tenham um perfil específico para aquela empresa – às vezes, é melhor não ser escolhido a ter de trabalhar em algo que não case com suas competências e aspirações.
  • Se você perceber que há um candidato que parece monopolizar a dinâmica, não abrindo espaço para os outros falarem, não se dê por vencido e “cave” um espaço entre a fale dele. É bom saber que os recrutadores não aceitam a desculpa de que você não pôde demonstrar seu potencial por ter sido ofuscado por outro candidato Uma dica é iniciar seu discurso durante as pausas e respirações do tagarela.
  • Conheça a empresa. Espera-se que o candidato saiba pelo menos informações básicas sobre a organização e a função pretendida. Entre dois candidatos com competências similares, naturalmente os selecionadores escolherão aquele que estiver mais em dia com essa lição de casa.

Caso você não seja aprovado, tente não remoer mágoas e foque rapidamente em uma estratégia futura. (veja como superar o “não” na busca de emprego). Uma carreira vitoriosa depende de muitos fatores, e nem sempre alcançá-los é uma tarefa simples – por isso, persistência é fundamental. A especialista do Empregos.com.br dá a “equação ideal” para que haja sucesso na vida profissional: candidato adequado + vaga adequada + gestor adequado + equipe adequada + empresa adequada.

Fonte:

http://carreiras.empregos.com.br

Por Clarissa Janini

Um comentário:

raissa disse...

Poxa...Gostei muito do seu blog e com certeza esta me ajudando, dia 15/07 tenho entrevista na Gol, estou aprendendo muito aqui, PARABÉNS e OBRIGADA!!